segunda-feira, 19 de abril de 2010

Alvenaria estrutural e de vedação

A escolha do sistema construtivo é uma decisão de extrema importância para a obra, pois ele influencia não somente o custo total da construção, mas a sua duração, a escolha da mão de obra, além de orientar o processo de projeto.
O sistema mais utilizado nas construções no Brasil atualmente (especialmente para residências) é o tradicional conjunto de pilares e vigas de concreto. A familiaridade de profisionais e da mão de obra com este método construtivo indica a tradição do país no projeto e na construção com o material.
Neste sistema, a estrutura de pilares e vigas é quem sustenta o peso da construção, formando um esqueleto de concreto e ferro onde as paredes não tem função estrutural, atuando somente como vedação (alvenaria de vedação).



Para o fechamento dos vãos criados entre os pilares, podem-se empregar diferentes materiais, como o tijolo de barro maciço, os diversos tipos de blocos cerâmicos e de concreto e até mesmo paredes de gesso.
Uma alternativa à estrutura tradicional é o sistema de Alvenaria Estrutural. Neste método construtivo, as paredes são autoportantes, ou seja, são capazes de suportar o peso da construção sem a necessidade de pilares e vigas.


Para isso, as paredes precisam ser erguidas com blocos especiais, sendo os blocos estruturais de concreto e cerâmica os mais utilizados. Existem diversas empresas que fabricam estes produtos, inclusive com modelos especiais para acolher tubulações ou com medidas diferentes para se ajustar à modulação, pois neste sistema os blocos não podem ser quebrados.
Na hora da compra, procure fornecedores que ofereçam peças de qualidade e sigam as regras da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).
A principal vantagem na eliminação de pilares e vigas é a economia, pois reduz-se a quantidade de formas de madeira (usadas para moldar a estrutura), diminui-se a quantidade de ferragens e desperdiça-se pouco material, pois os blocos não são quebrados, o que também contribui para a limpeza e organização do canteiro de obras.
Economiza-se tempo também, pois enquanto no sistema convencional, as paredes são erguidas e depois rasgadas para embutir as tubulações hidráulicas e elétricas, na alvenaria estrutural, a passagem de ferros, fiações, conduítes ou canos é feita através dos furos de encaixe dos blocos, ao mesmo tempo em que a parede é erguida.
Outro ítem a se considerar é a economia com o revestimento de parte das paredes internas. Enquanto no sistema tradicional, o acabamento é feito com chapisco + emboço + reboque + massa corrida + pintura, na alvenaria estrutural, pode-se utilizar somente o gesso + pintura (exceto nas áreas molhadas), desde que os blocos utilizados sejam de qualidade, com as faces lisas e as paredes estejam bem feitas e no prumo.
No entanto, este sistema apresenta algumas desvantagens, como a limitação no tamanho dos vãos das paredes e as restrições em caso de reformas, pois como as paredes são autoportantes, estas não podem sofrer alterações sem que a estrutura geral da edificação seja afetada. Além disso, as mudanças nas instalações elétricas e hidráulicas devem ser feitas com cuidado, pois os blocos não podem ser rasgados para embutir novas tubulações.
O projeto arquitetônico também deve ser feito de forma detalhada, baseando-se nas modulações do bloco estrutural a ser utilizado, com plantas das 1ª e 2ª fiadas, além de vistas de todas as paredes.
Caso sua opção seja por um sobrado, é importante lembrar que as paredes do pavimento superior devem estar localizadas na mesma posição daquelas do térreo, criando uma "limitação" na definição dos espaços, diferente do que ocorre com a estrutura convencional, que permite a criação de projetos mais arrojados, com maior liberdade na definição dos espaços, além de facilitar reformas futuras.
Dependendo das suas necessidades, é posível mesclar os dois sistemas, mas isso implicará em custos maiores. Consulte um profissional para saber qual a melhor solução para sua construção.

Fonte:
Revista Arquitetura & Construção agosto/2003
Revista Construir nº 78


Para quem quiser conhecer melhor o sistema de Alvenaria Estrutural, sugiro este artigo da revista Téchne que descreve a construção de uma casa experimental utilizando o sistema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário